Faceloop

Métricas de interacção e redes sociais

Sofia Machado

Sinopse

As métricas são algo prevalente no Facebook, podendo ser contabilizadas de diversas formas, desde o número de likes, às notificações. A quantificação destes elementos actua de forma contínua sobre as acções dos utilizadores, contribuindo para a criação do “eu” virtual, que se forma a partir dos números e dos dados como uma entidade mensurável. Como Benjamin Grosser afirma, o Facebook actua sobre o “desire for more”, reimaginando o “eu” e as relações interpessoais em termos quantitativos: quando os números aumentam o desejo por mais é alcançado. Os números actuam como capital simbólico que pode ser acumulado, constituindo a base para uma interacção ludificada, nomeadamente promovendo a competição.

 

Faceloop aborda o papel da ludificação no Facebook segundo estratégias de contra-ludificação que, como ilustrado por Daphne Dragona, procuram questionar e subverter as mecânicas de jogo usadas em redes sociais. O projecto constitui-se como uma versão alternativa e ficcional do Facebook, com foco nas métricas enquanto base para a ludificação. A página web apresenta referências sobre o tema e opera de forma a expôr as mecânicas de jogo e os elementos lúdicos (como pontos e badges) associados às acções dos utilizadores. Desta forma, revela a constante quantificação dos comportamentos dos utilizadores, que se alia à ludificação como estratégia para assegurar o seu envolvimento constante.

 

Faceloop reflecte a forma como os números são utilizados recorrentemente para alimentar mecânicas e dinâmicas de jogo, evidenciando as métricas como formas de capital simbólico, como bases do “eu” virtual, e como formas de prescrever as suas (inter)acções.

the data / the app

ludificação
quantificação
mecânicas de jogo
contra-ludificação
facebook